quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Alguns exemplos de reacções de oxidação-redução

MAGNÉSIO e OXIGÉNIO

Será que se devem apagar todos os fogos com água? A utilização de água para tentar apagar um fogo em matérias gordurosas pode originar consequências graves. O mesmo acontece com o magnésio:

  • Incendiar uma afiadeira de magnésio com água (ver vídeo): quando o magnésio é aquecido reage rapidamente com o oxigénio atmosférico (magnésio + oxigénio ---> óxido de magnésio, ou seja, 2 Mg + O2 ----> 2MgO); a água adicionada vai também reagir com o magnésio, originando a oxidação deste e a libertação de hidrogénio (água + magnésio ---> óxido de magnésio + hidrogénio, ou seja, Mg + H2O ---> MgO + H2); este último também entra em combustão (hidrogénio + oxigénio ---> água, ou seja, 2 H2 + O2 ----> 2 H2O).

  • Combustão de uma fita de magnésio no seio do ar e no seio de oxigénio (ver vídeo): esta reacção, fortemente exotérmica, ocorre, como seria de esperar, mais intensamente numa "atmosfera" de oxigénio.

ALUMÍNIO e BROMO

O bromo é um dos reagentes químicos mais perigosos.

  • Neste caso incendeia-se um pedaço de folha de alumínio com bromo (ver vídeo A), ou aparas de alumínio com bromo (ver vídeo B), ou pedaços de alumínio com bromo (ver vídeo C): passados alguns segundos, uma reacção violenta inicia-se (alumínio + bromo ---> brometo de alumínio, ou seja, 2 Al + 3 Br2 ----> 2 AlBr3); o bromo é reduzido a brometo e o alumínio é oxidado a ião alumínio.

ALUMÍNIO e IODO

Uma mistura de iodo e de alumínio em pó reagem, rapidamente, após a adição de uma gota de água (alumínio + iodo ---> iodeto de alumínio, ou seja, 2 Al + 3 I2 ----> 2 AlI3); são também bem visíveis os vapores de iodo resultantes da sublimação deste, originada pelo aumento de temperatura resultante da exotermicidade desta reacção (ver vídeo).


ENXOFRE e OXIGÉNIO

As chuvas ácidas são um problema ambiental grave. O dióxido de enxofre, os óxidos de azoto e o dióxido de carbono presentes na atmosfera alteram o pH da água da chuva. Um dos principais responsáveis das chuvas ácidas é o dióxido de enxofre produzido como resultado da queima dos combustíveis fósseis:

  • O enxofre a arder em oxigénio (ver vídeo): nesta reacção o enxofre reage com o oxigénio originando dióxido de enxofre (enxofre + oxigénio ---> óxido de enxofre, ou seja, S + O2 ---> SO2); a posterior reacção deste com a água origina ácido sulfuroso (dióxido de enxofre + água ---> ácido sulfuroso, ou seja, SO2 + H2O ---> H2SO3).

FERRO e OXIGÉNIO

Quando se queima um papel ou carvão, o que resulta dessa combustão (no estado sólido) tem um peso menor do que o material original. Mas será que isso se verifica para todas as combustões? As combustões são, usualmente, reacções de uma determinada substância ou material com o oxigénio. Assim, se nenhum dos produtos da reacção estiver no estado gasoso deverá haver um aumento de peso:

  • Uma substância que ao arder "aumenta" de peso (ver vídeo): no caso da combustão do ferro (e de outros metais) nenhum dos produtos está no estado gasoso, por isso a nova substância formada, óxido de ferro, tem um peso maior do que o ferro de que se partiu. Como essa nova substância resultou da reacção entre o ferro e o oxigénio, o seu peso corresponde à soma dos pesos do ferro e do oxigénio que reagiu (ferro + oxigénio ----> óxido de ferro, ou seja, 2 Fe + O2 ---> 2 FeO ou 4 Fe + 3 O2 ---> 2 Fe2O3) de acordo com a lei de Lavoisier.

FERRO e ENXOFRE

Uma reacção redox é uma reacção de transferência de electrões e não tem que envolver necessariamente o elemento oxigénio. A inflamação da mistura de ferro e enxofre cria uma nova substância de cor preta: o sulfureto de hidrogénio (Fe + S ---> FeS) - ver vídeo -.


Outras reacções de oxidação-redução:

  • ÓXIDO DE COBRE (II) e FERRO: reduzir o óxido de cobre (II) com ferro - ver vídeo - (aquecer uma mistura de 8 g de CuO com 6 g de Fe em pó): o ião cobre(II) é reduzido e o ferro é oxidado (CuO + Fe ---> Cu + FeO).

  • DECOMPOSIÇÃO do ÓXIDO DE PRATA: quando se aquece o óxido de prata forma-se um sólido prateado e liberta-se um gás que inflama uma tira incandescente - ver vídeo - (2 Ag2O ---> 4 Ag + O2).

  • ESTADOS DE OXIDAÇÃO DO MANGANÉSIO: no permanganato de potássio (KMnO4) o manganésio está no estado de oxidação +7 (o que dá à solução aquosa deste composto a cor violeta), na presença de sacarose e em meio alcalino o manganésio é reduzido, sucessivamente, para o estado +6 (verde, manganato) e +4 (amarelo, dióxido de manganésio) - ver vídeo -.

  • GLICOSE, AZUL DE METILENO e OXIGÉNIO: a glicose reduz o azul de metileno para uma espécie incolor (o leuco-metileno) e, ao mesmo tempo, transforma-se em ácido glicólico. Na presença de oxigénio, o leuco-metileno (incolor) oxida-se, convertendo-se, de novo, em azul de metileno - ver vídeo -.

  • UMA "BEBIDA" QUÍMICA (que não se pode, em caso algum, beber): primeiro o permanganato (violeta) é reduzido, em meio alcalino, a manganato (verde) por acção do sulfito (MnO4- + SO32- + OH- ---> MnO42- + SO42- + H2O), a adição de ácido sulfúrico origina a transformação de MnO42- em MnO2- (MnO42- + SO32- + H2SO4 ---> MnO2- + SO42- + H2O) - ver vídeo -.


Playlist com os vídeos referidos nesta mensagem (vídeos disponibilizados nos canais Netexperimente, mabakken e nitrex):


Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails