segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Vitreloy: coeficiente de restituição elevadíssimo

O "Vitreloy", uma liga cujo componente principal é o zircónio, foi o resultado de um programa de investigação, coordenado pela NASA, sobre metais amorfos no Instituto de Tecnologia da Califórnia (CalTech). A primeira liga amorfa comercial, Vitreloy 1 (41,2% de zircónio, 13,8% de titânio, 12,5% de cobre, 10% de níquel e 22,5% de berílio - percentagens molares -), foi desenvolvida em 1992 no Caltech. Outras ligas foram adicionadas ao conjunto de estruturas amorfas deste tipo pela empresa Liquidmetal Technologies.

Este novo tipo de material estrutural apresenta características de grande formabilidade, semelhante ao plástico, e é duas vezes mais resistente que o titânio. As novas ligas amorfas, aliam a resistência do aço com a capacidade de moldagem do plástico: são maleáveis a baixas temperaturas, podendo ser moldadas em formas complexas utilizando processos semelhantes aos utilizados nos termoplásticos, apresentando resistência mecânica e elasticidade elevadas.

Estas ligas, ao contrário dos metais cristalinos, não apresentam um ponto de fusão bem determinado. Comportam-se como outros vidros: a sua viscosidade diminui gradualmente consoante aumenta a temperatura (daí também se designar de vidro metálico). Estes materiais já são usados industrialmente no fabrico de tacos de golfe, raquetas de ténis, drives USB, telemóveis, etc (ver artigo de Mark Telford, Materials Today, Março 2004, pp. 36-43).


Créditos: Liquidmetal Technologies


Na demonstração pode apreciar-se o ressalto de uma bola de aço sobre três placas: uma de aço inoxidável, outra de titânio e a terceira de "Vitreloy". É extraordinário o coeficiente de restituição deste material: muito próximo de 1 (o metal elástico).

Vídeo do GoogleVideo:



Vídeo original (Quicktime; Win MP) pode ser visto no sítio Web da empresa Liquidmetal Technologies.



Anotações adicionadas ao vídeo referido (reconstrução concluída a 16 de Fevereiro de 2008):




1 comentário:

Anónimo disse...

Gostaria de saber se a extração e/ou a utilização do Vitreloy traz algum impacto ambiental e/ou social.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails